Posts Tagged "filho"

Desfralde legal!

Posted by on Aug 6, 2014 in Meu Filho, Vivi | 0 comments

Não tem muito tempo falei aqui no blog sobre esperar o tempo do filho para começar o desfralde e o quanto a Laura Gutman me ajudou a entender isso. O post anterior está aqui.

Lucas estava com 2 anos e 5 meses em pleno inverno, mas experimentamos uma nova relação com o desfralde, mais tranquila e fluida. Esperar o tempo certo faz com que o clima influencie pouco (ou nada na verdade) no desfralde.

Como o Lucas entrou de férias em Julho aproveitamos para passar uns dias em São Paulo, curtindo um frio. Depois que voltamos resolvi tentar novamente o desfralde, mas nos primeiros dias coloquei fralda de pano com 1 absorvente apenas e ficava perguntando de tempos em tempos se ele queria ir ao banheiro, em alguns momentos deu certo em outros não. Com essa fralda fica fácil colocar e tirar, além de ficar bem mais úmido caso faça xixi na fralda e não vazar (quer dizer, se forem muitos xixis vaza, mas menos que na cueca).

Não vou mentir, teve um dia que fiquei bem brava com ele, pois depois de um tempão perguntando se ele queria ir ao banheiro e ele negando, o lindão olhou para mim e disse: já fiz. Percebi que ele sabia quando queria fazer xixi e mesmo assim estava fazendo na calça. Conversei com ele e continuamos nossa caminhada.

Um dia estávamos no shopping e escolhemos juntos novas cuecas (do Batman, é claro), no dia seguinte colocamos a dita e pronto, nenhum escape, nenhum xixi na cueca do Batman. Boa parte do tempo tínhamos que estimulá-lo a ir ao banheiro, ficar junto.

Mas as férias acabaram e ele voltou para a rotina da escola. Mandei um recado na agenda falando que ele estava sem fralda, mas que não estava pedindo ainda para ir ao banheiro, apenas respondia ao estímulo ao ser perguntado. Enchi a mochila de calças e cuecas para caso houvessem acidentes.

Quando fui buscá-lo a professora veio a porta me elogiar, dizer que ele tinha feito xixi durante as idas da turma ao banheiro e quando sentiu vontade pediu para ser levado, que eu estava de parabéns por ter esperado o tempo dele e que estava fluindo tudo bem. Ou seja, ele não deixou escapar o xixi nenhuma vez.

Nesses primeiros dias tivemos saídas que coloquei a fralda, por medo mesmo, mas teve um dia que não houve como deixá-l0 de fralda, expliquei que ele não poderia fazer xixi na calça que ia molhar a caderinha do carro, que ele tinha que esperar chegar em casa. Ele disse que estava com vontade ao longo do percurso e eu reforcei que ele tinha que esperar mais um pouco. Chegando em casa ele correu para o penico e fez um monte de xixi. Fiquei feliz em saber que ele está controlando bem o esfíncter.

Estamos nessa vida sem fralda há umas três semanas, saímos, passeamos e a fralda ficou só para as noites, mas acho que logo vão embora também pois acordam sequinha!

Paciência e dar tempo ao tempo são importantes para essa fase, não adianta a escola, a sogra, o marido querem que o filho desfralde, ele vai fazer quando ele estiver pronto. Agora se você quer limpar muito xixi, lavar muita calça fique a vontade para fazer o desfralde no seu tempo e não do seu filho.

 

Read More

Nem tudo são flores

Posted by on Jul 14, 2014 in Maternidade, Pensamentos, Vivi | 0 comments

Pode parecer que a maternidade é linda, feliz e te completa, mas nem tudo são flores.

Hoje, grávida do segundo filho, com um bb de mais de 2 anos me sinto feliz como mãe, mas não foi sempre assim e só o Pedro sabe.

A gente esconde os problemas de nós mesmas, né? Mas tem horas que a gente explode, chora, xinga, briga com a sombra (mais com o marido) e não entende porque, todo mundo fala do amor incondicional, que a maternidade é linda e todas as frases lindas (e batidas) sobre ser mãe.

Mas ninguém te conta que amamentar pode ser super complicado, que você não vai ter tempo para fazer muita coisa (tipo raspar as pernas do banho), que você não vai ter pique para manter a vida sexual (e vai ficar encanada que o marido tem outra), que seus amigos não vão entender que você não pode sair às 20h (isso se você puder sair) e tantas outras coisas que nos irritam e incomodam (pode parecer pouco lendo assim, mas quem vive sabe).

Como ter sentimentos tão opostos em relação a mesma coisa? Tudo bem falar bem da maternidade, do filho, do peso, mas a sociedade não te permite falar mal, não aos quatro ventos, não para todo mundo ouvir. Acho que é medo de desistimular outras mulheres a procriar e a humanidade terminar (hahaha).

Conheci muitas mães depois que o Lucas nasceu e todas elas tiveram seus perrengues, cada uma soube contornar, viver aquele momento sabendo que é isso mesmo, um momento, que passa… Ao conhecer outras mães a gente percebe que não está sozinha, que não é só com nosso filho, conosco, que alguns comportamentos e situações se repetem.

Agora estou numa fase ótima, que o Lucas é mais “independente”, brinca sozinho, aceita ficar com outras pessoas (o pai inclusive) e não mora mais no meu colo, mas nem sempre foi assim.

Foi difícil para mim ficar encantada com a maternidade, mas agora adoro ser mãe, fazer as coisas pelo Lucas, com e para ele. Tenho certeza que serei melhor mãe para o Jorge, pois aprendi muito nesses últimos 3 anos.

Read More

Do que precisam os bebês?

Posted by on May 28, 2014 in Maternidade, Pensamentos | 0 comments

Faço parte de vários grupos no Facebook, dentre eles um de compra e venda de coisas de bebê. Hoje vi dois posts de mães procurando por cadeirinha que treme e móbile para berço. Ai me peguei pensando: mas precisa mesmo?

As listas de chás de bebê são surreais, se você for comprar tudo que pedem provavelmente vai gastar muito dinheiro e não usar nem metade. Tem coisa que ninguém fala para comprar, como inalador, e que você precisa muito (aqui usamos desde que o Lucas era bem pequeno até hoje).

Voltando ao que motivou o post, além da cadeirinha e do móbile não serem muitos baratos eles afastam a mãe da criança. Sou materna, acredito na criação com a apego, no colo, no peito e esses itens especificamente vão exatamente contra esses princípios.

Um bebê precisa de colo, de carinho, de amor, não precisa de coisas, de brinquedos, de cadeirinha, não tem que dormir a noite toda em seu quarto sozinho. Adoro o Dr. Carlos Gonzales (mas não quer dizer que concorde e siga tudo que ele fala), ele tem uma visão humana de como educar as crianças, entende que elas são únicas, que você não pode padronizá-las. Hoje também recebi link para essa entrevista dele.

Vamos refletir sobre as reais necessidades de nossos pequenos, onde e como gastamos nosso dinheiro, com o que devemos nos importar desde a barriga.

Read More

Os terríveis dois anos!

Posted by on May 23, 2014 in Meu Filho, Vivi | 0 comments

Lembro de um post do blog Cientista que Virou Mãe há algum tempo e foi bem o que senti hoje. O post chama Terrible two?! Corram para as colinas, fujam para as montanhas! e foi exatamente esse sentimento que tive hoje: fugir!

Lucas acordou “dá pá virada”, não queria comer, resolveu me bater porque não queria assoar o nariz, jogou a calça longe, chorou, brigou, correu, pulou, tudo isso antes das 9h da manhã. Eu já estava ligando pra excursão materna para as montanhas, mas chegou a hora da natação.

Lá fomos nós pra piscina, quando cheguei lá percebi que tinha esquecido metade das coisa em casa, mas bora fazer o menino gastar energia. Ele pulou, nadou, mergulhou e até respirou sozinho (tirou a cabeça da água, respirou e continuou nadando), coisa que nunca tinha feito antes. Outras mães e até a tia comentaram que ele estava ligado no 220.

Os dois anos são assim, cheio de novidades, cheio de dias difíceis, mas com muita fofice. A gente mistura sentimentos, tem hora que quero esmagar ele de tanta gracinha, mas dá vontade de sair andando e deixar o filho fazendo sua birra no meio da rua ou em casa mesmo.

Dizem que essa fase é complicada por que eles, os pequenos, já sabem o que querem (principalmente o que não querem), mas ainda não conseguem se expressar, ou pior, ficam frustrados por não conseguir (acontece com todo mundo).

O bom é que como toda fase passa e nós mãe entoamos o mantra: vai passar, vai passar!

Read More

Desmame total

Posted by on May 19, 2014 in Alimentação, Meu Filho | 0 comments

Vi que meu último post antes de falar sobre o segundo baby foi sobre o desmame noturno, mas acabei não contando como foi o desmame total do Lucas.

A gente já tinha feito o desmame noturno, como contei nesse post. Ele estava mamando de manhã e antes de dormir. O de antes de dormir era o mais difícil, ele precisava dessa mamada para dormir (ou eu achava que precisava).

Estava tranquilo, funcionando bem, até que tive uma bolha de leite. Ninguém fala muito sobre esse problema na amamentação, é uma bolinha branca que aparece bem na ponta do mamilo e que dói muito, principalmente quando o bebê suga. Essa bolha, normalmente, é decorrente do entupimento de um ducto por onde sai o leite e pode causar mastite se não tratada.

A forma correta de tratar é furando (com uma agulha estéril), mas não é lá muito fácil e pode doer, depois de furar você deve drenar o leite do ducto (manualmente, colocando o bb para mamar ou com um extrator). Eu me furei muitas vezes, algumas vi até sangue, fiquei tonta e tal, mas a tal bolha voltada.

Fui na consultora de amamentação, numa GO, num mastologista e no banco de leite. Todos eles me disseram que a conduta era essa, furar, drenar e iria melhorar, mas não melhorava. Cada mamada era um sofrimento, uma dor que ficava tensa pensando nessa hora. Quando evitava a mama com a bolha ela dava uma boa regredida, mas era colocar o Lucas para mamar que tudo voltava. Diante disse tomei a difícil decisão de desmamar.

Lucas estava com 1 ano e 10 meses, já comia de tudo, tomava água e suco no copo, não precisava tanto do leite para uma vida saudável. Então um dia quando ele chegou da escola expliquei que o mamá estava doente (o que era verdade, apesar de eu sempre ter achado péssimo falar isso para o filho) e que não teria mais. Ele escutou e nunca mais pediu.

Passamos a ter outro ritual para o sono, deitamos juntos na caminha dele até que pegue no sono, ou conto uma história. Não temos mais o mamá, mas nem por isso perdemos o contato, esse momento nosso.

Acredito ter cumprido minha missão na amamentação do Lucas, não ouve trauma, não houve choro, chegou ao fim e seguimos em frente.

PS: Ele não toma leite, nem no copo, nem na mamadeira, às vezes fazemos vitaminas com frutas ou ele toma leite com Granola como o papai. Procuro manter uma alimentação saudável, com derivados de leite, com folhas escuras, amêndoas e outros itens que possuem cálcio, estudos recentes apontam que a absorção de cálcio pelo corpo humano é baixa para o leite que temos acesso, processado e modificado e que existem substitutos muito bons na natureza, mas esse é assunto para outro post.

Read More

Alimentação Infantil

Posted by on May 18, 2014 in Alimentação, Meu Filho, Pensamentos | 0 comments

Estou aqui assistindo aquele programa do GNT chamado “Socorro: meu filho come mal” e percebo que a maioria das crianças tem hábitos horríveis porque os pais permitem, porque em algum momento os pais deram isso para a criança comer em algum momento.

Aqui sempre busquei uma alimentação saudável, balanceada para o Lucas (e para nós também), mas não é tudo e nem sempre, a medida que crescem a gente relaxa e deixa provar coisas como chocolate, bolacha e afins. Culpa minha, eu sei, mas tento equilibrar ao máximo.

Temos o hábito das frutas e ele AMA frutas, manga é a paixão dele, às vezes até pede banana com aveia e mel, por isso me sinto orgulhosa. Mas não introduzi salada na alimentação dele e não sei bem como fazer, aceito dicas, pois ele não come e não gosta (ah, agora começou a falar eca pras coisas que não quer comer). Sempre temos alguma verdura ou legume (ou os dois) junto com arroz, feijão e alguma carne.

Para ter ideias bacanas de comidas usei (e uso) esses dois blogs: http://www.asdeliciasdodudu.com.br/ http://clubedapapinha.blogspot.com.br/.

Mas nem tudo são flores e o Lucas é uma formiga como eu, adora um doce. Como não tem doce em casa todos os dias ele não come, mas se tiver…

Hábitos saudáveis devem ser de toda a familia, não adiante você falar para seu filho como alface se você mesmo não come, nem que doce não é legal mas você vive comendo. Pense nisso antes de sair tentando fazer seu filho comer chicória se nem você sabe o gosto que tem.

Read More

Foto não…

Posted by on May 16, 2014 in Meu Filho, Pensamentos | 0 comments

Depois de ler alguns artigos na internet sobre o assunto o Pedro e eu decidimos não ter mais fotos do Lucas na internet.

Pelo Pedro a gente deveria deletar tudo, mas tem foto no facebook, no twitter, no instagram (meu e dele), fora as marcações que as pessoas fazem. Mas acabei convencendo-o a não publicarmos mais, assim nem eu, nem ele postamos fotos do Lucas na internet.

Essa é uma decisão difícil, pois queremos mostrar como nosso filho é lindo, está crescendo e faz fofices, mas tem o lado privacidade que fica complicado.

Hoje não temos controle sobre quem vê nossas fotos e não venha me falar de controle de privacidade do facebook que é tudo balela, quem procura se informar sobre o assunto até se assusta.

Aproveitamos os grupos que temos no whatsapp para mandar fotos e vídeos para a família, assim eles acompanham o crescimento, mas fica restrito a estas pessoas (ou deveria), pelo menos por enquanto.

Read More

Apaixonada

Posted by on Aug 18, 2013 in Maternidade, Meu Filho | 0 comments

A gente ama nosso baby desde dos dois risquinhos no teste de gravidez, ai fica doida com as primeiras batidas do coração e atinge o ápice quando olhamos para eles pela primeira vez.

Mas a realidade da maternidade não é tão fácil quanto se imagina. Já contei que o Lucas não foi um bebê fácil (aqui, aqui e aqui), tivemos nossos altos e baixos. Mas nunca deixei de amar.

Tem uns meses que fizemos o desmame noturno (prometo falar disso em outro post) e estamos dormindo melhor (os 3). Isso é um feito, depois de mais de 1 ano dormindo picado conseguir dormir horas seguidas muda sua vida, dá mais ânimo, energia.

Além disso Lucas está mais independente, fica brincando sozinho, assiste um pouco de TV (tb já falei disso aqui).

Nossa relação mudou, não é mais tão simbiótica, dependente, é mais companheira, mais amiga, agora compartilhamos os momentos.

Fora que ele manda beijo, abraça, fala umas coisinhas (mamá, bô, gol, dentre outras).

É por tudo isso que digo que estou apaixonada pelo Lucas, tenho vontade de apertar, morder, beijar.

Muito louca essa relação com os filhos….

 

Read More

Faltam 2 dias

Posted by on Feb 2, 2013 in Maternidade, Meu Filho, Pensamentos, Vivi | 0 comments

Hoje vou falar de um tema complicado, mas sincero: as dificuldades de ser mãe.

Desculpa gente, mas nem tudo são flores. Tem dias que quero ficar sozinha, quero acordar mais tarde, ver um filme do começo ao fim, mas não posso. Neste post vou enumerar algumas coisas que mudam muito (e não para melhor) depois que você se torna mãe:

- Amamentar pode ser dolorido, complicado e dar trabalho (mas vale por tudo);

- Noites de sono, daquelas bem dormidas não me lembro mais o que são, mas sei que vai melhorar;

- Vida sexual: quem?

- Vida social: só em locais com espaço kids;

- Casa arrumada nunca mais, tem sempre um brinquedo espalhado (ou embaixo do móvel);

- Assuntos que não maternidade, filho, amamentação ficam mais raros.

Mas quando eles abrem um sorriso (banguela ou não) tudo isso fica pequeno, menor e vale a pena.

Read More

Faltam 7 dias

Posted by on Jan 28, 2013 in Maternidade, Meu Filho, Pensamentos | 0 comments

Falta 1 semana para seu aniversário e quero comemorar nosso primeiro feito: o parto normal.

Nosso parto (eu acredito que o parto é da mulher e do bebê, não dos médicos, procedimentos…) foi o melhor parto que poderíamos ter. Hoje faria uma porção de coisas diferente, melhores, mas tenho muito orgulho de tudo que conquistamos.

O Brasil é o país campeão de cesáreas eletivas, aquelas que não precisavam acontecer. Seus amigos provavelmente nasceram de cesária (fora os que são filhos de algumas amigas da mamãe) e isso não é ruim, mas não foi a experiencia que escolhi para mim, nem o nascimento que escolhi para você.

Seu pai participou ativamente do processo da sua chegada, desde o momento que começaram as contrações até seu primeiro choro. A presença do seu pai me deu forças para conseguir chegar ao parto normal.

Tudo sobre o parto está registrado neste post aqui. Se quiser saber mais é só me perguntar.

Read More

11 meses

Posted by on Jan 8, 2013 in Maternidade, Meu Filho | 1 comment

Lucas tá cada dia mais fofo, já se aventura andando segurando nas nossas mãos, mas morre de medo de soltar.

Neste mês ele conheceu a praia, passou seu primeiro Natal (cheio de presentes, estou montando o vídeo dele abrindo todos) e assistiu aos fogos do reveillón da sacada da casa da vovó.

Estamos de férias em SP, casa da vovó é uma delícia, tem cama de gato (um clássico na nossa familia), comida diferente, passeios e muita bagunça.

Preciso fechar as coisas do aniversário dele, porque tá muito perto!

Read More

Um breve resumo de um longo ano

Posted by on Dec 27, 2012 in Maternidade, Meu Filho, Vivi | 0 comments

2012 realmente foi um ano novo, em tudo.

- Lucas nasceu (e eu pari);

- Eu parei de trabalhar;

- Eu conheci grandes amigas;

- Lucas conheceu seus primeiros amigos;

- Me descobri militante (meio tímida, mas decidida);

- Lucas foi pra escolinha e a adaptação não foi fácil;

- Voltei a trabalhar, aos poucos…

- Os dentes do Lucas nasceram (e foi um outro parto);

- Minhas noites são de sono picado, com o Lucas acordando para mamar;

- O Corinthians é campeão mundial de clubes;

- Vamos passar o ano novo na praia;

 

Esse foi um ano único. Mesmo que tenha outros partos, outros campeonatos, outros amigos esse foi o primeiro, exclusivo e aproveitei o que pude, ano que vem será diferente (e não é sempre?).

 

Feliz 2013 para todos!

Read More

10 meses e meio

Posted by on Dec 20, 2012 in Alimentação, Meu Filho | 1 comment

Não fiz post de 10 meses, mas farei de 10 e meio, porque a fase boa continua e com novidades.

Lucas agora dá tchau e aponta para onde quer ir.

Aprendeu a bater palma, a deitar no travesseiro e  a chamar as pessoas (abre e fecha a mãozinha).

Terminamos o ano com ele super adaptado na escola (mesmo chorando todos os dias quando deixo-o).

Ele tá dançando, sentadinho, tão lindo!

Ele tem 6 dentes (4 em cima e 2 em baixo), tá mordendo forte (meu peito inclusive).

Ainda somos muito grudados, mas acho que é da personalidade dele e um dia vai passar.

Vamos passar dias de festas, viagem, praia, ano novo, ufa!

Read More

Meu filho nunca ______

Posted by on Nov 29, 2012 in Alimentação, Meu Filho | 0 comments

Você pode preencher com o que quiser.

Antes de ser mãe a gente sempre fala: meu filho nunca vai dar dormir no colo, nunca vai fazer birra, e por ai vai. Eu sempre achei horrível mãe correndo atrás de criança para comer (e ainda acho), mas tive que me render.

Lucas andou perdendo peso e não queria comer quando estava doente, se negava a ficar no cadeirão era um choro só. Ai percebi que na escolinha ele comia e descobri que ele come no chão (com a tia atrás dele) ou no colo da tia. Resolvi deixar o cadeirão de lado e passar a dar comida pra ele de maneira mais “livre”.

Dessa forma ele tem comido mais, apesar de ser bem mais cansativo e sujar a casa toda. Então, entre não comer nada e comer comigo correndo atrás, prefiro correr atrás!

Read More

Começando na escolinha!

Posted by on Nov 14, 2012 in Maternidade, Meu Filho, Vivi | 0 comments

Lucas vou registrar nossa experiência na adaptação no berçário. Você começou no dia 19/09/2012 com 7 meses e 15 dias.

1° dia: Para começar a adaptação fomos pra escola no começo da tarde e logo a tia Elis pegou você do meu colo, não teve luta, não teve choro.

Você foi pra dentro da sala e eu para o computador (big brother do bebê). Você ficou o tempo todo no colo da tia, mesmo quando ela te colocava no chão você a escalava (como você faz comigo). Você comeu bem pouco da banana que te deram (só duas colheres), mas tinha almoçado tarde.

A parte difícil para mim foi ver você mamando, eu tirei meu leite, congelei e levei pra escola. Você, pela primeira vez, mamou fora do meu peito e isso me doeu.

Fomos embora depois de 1 hora, você voltou conversando no carro.

2° dia: Você ficou lá por mais ou menos 2 horas, comeu toda a pêra, mas não quis mamar nada.

Eu fui dispensada e nem fiquei olhando pelo câmera, fui dar uma passada na loja do shopping. Quando cheguei para te pagar você estava dormindo no colo da tia.

Ia esperar você acordar, pois não tinha pressa, mas assim que ela te deitou você acordou (como faz aqui em casa), ficou bem bravo, mas logo estava no meu colo e fomos embora.

3° dia: Esse foi um dia ruim, você dormiu demais (2 horas) e ficou sem almoçar, chegando na escola foi comer a fruta mas só comeu duas colheradas.

Você chorou, mas quando foi comer se acalmou, eu vim pra casa esperar, era para você ficar quase até o final da tarde. Mas depois de 1 hora a tia me ligou dizendo que você estava chorando e não se acalmava, que era melhor eu buscá-lo. Foi o que fiz, quando cheguei você soluçava de tanto que chorou.

Mas na hora de sairmos caiu o mundo, uma chuva enorme. Tivemos que esperar passar para poder ir ao carro e nisso você já estava calmo e sorrindo pras tias.

O fim de semana chegou, ficamos em casa juntos todos os dias e a adaptação volta na próxima segunda. Mas você ficou doente e não foi na segunda, seu 4° dia mudou pra terça.

4° dia: Depois de febre e dodói fomos nós pra escola. Chegando na porta da sala você já começou a chorar quando a tia te pegou. Depois de 20 minutos elas me chamaram que você não parava de chorar, dei um mamá para você se acalmar. Quando estava tranquilo voltamos para a porta da sala e você chorou de novo. Ficou por mais 30 minutos e veio para mim.

Conversei com a Tia Elis e a Tia Téo, pois está ficando claro para elas o que era óbvio para mim: vai ser demorado. Expliquei que não tenho pressa, que não tenho data para voltar a trabalhar e que vamos fazer no seu tempo. Elas me aconselharam a levar você em mais encontros com crianças e me distanciar quando você estiver brincando sozinho em casa, porque não adianta elas fazerem algo na escola e eu fazer outra coisa em casa.

5° dia: Você já estava bem mais alegrinho e fomos numa boa até a escola, chegando lá você chorou para entrar na sala, mas se acalmou e ficou por mais de 1 hora. Não saiu do colo, trocou a fralda, brincou um pouco na piscina de bolinhas, mas não quis comer a fruta nem tomar o leite (precisamos melhorar este lado), devagar a gente chega lá.

 6° dia: Fomos de novo felizes, mas você não quis comer e nem mamar, mas dormiu quase 40 minutos deitadinho.

7° dia: Seu pai que foi te levar e te buscar neste dia, foi um dos seus melhores dias, comeu fruta e mamou um pouquinho. Mas na hora que a tia foi colocar você pra dormir no colchão você acordou bem bravo.

Mais um final de semana, desta vez eu que fiquei doente. Mas tudo bem, logo fiquei boa.

8° dia: Segunda feira complicada de você ficar, e ainda me viu na hora que foi ao banheiro, pronto berreiro total. Peguei você um pouco e dei mamá no copinho, não é que você tomou?

9° dia: Deixei você e vim pra casa, assim a gente não corre mais o risco de você me ver, né? Você ficou 2 horas, comeu e mamou, mas não quer sair do colo na hora de dormir.

10° dia: Fiz a mesma coisa, apenas deixei você na escolinha e voltei para casa, depois de 2 horas fui te pegar. Desta vez você não mamou e nem dormiu.

E assim continuamos, mas você ficou doente e teve que ficar em casa por 2 semanas. Pode imaginar que para voltar foi difícil, no primeiro dia você chorou sem parar e não ficou nem 1 hora.

Mas logo começou a comer, dormir e ficar mais tempo.

Para mim está claro que você só vai se adaptar ano que vem, porque a volta das férias vai ser complicada pra nós, mas estaremos preparados, né?

 

Read More